Siga-me por Email

sábado, 29 de maio de 2010

Para o cassado ou caçado e para o que chega via tapetão

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Para os que "sonham" com a cassação ou caçação

Ou, como lembrou outro dia Helio Fernandes, colocando aspas em Rui:
         “De Anás a Herodes o julgamento de Cristo é o espelho de todas as deserções da
          justiça, corrompida pelas facções, pelos demagogos e pelos governos. A sua 
          fraqueza, a sua inconsciência, a sua perversão moral crucificaram o Salvador, e
          continuam a crucificá-lo, ainda hoje, nos impérios e nas repúblicas, de cada vez
          que um tribunal sofisma, tergiversa, recua, abdica. Foi como agitador do povo e
          subversor das instituições que se imolou Jesus. E, de cada vez que há precisão de
          sacrificar um amigo do direito, um advogado da verdade, um protetor dos
          indefesos, um apóstolo de idéias generosas, um confessor da lei, um educador do
          povo, é esse, a ordem pública, o pretexto, que renasce, para exculpar as
          transações dos juízes tíbios com os interesses do poder. Todos esses acreditam,
          como Pôncio, salvar-se, lavando as mãos do sangue, que vão derramar, do
          atentado, que vão cometer. Medo, venalidade, paixão partidária, respeito pessoal,
          subserviência, espírito conservador, interpretação restritiva, razão de estado,
          interesse supremo, como quer te chames, prevaricação judiciária, não escaparás
          ao ferrete de Pilatos! O bom ladrão salvou-se. Mas não há salvação para o juiz
          covarde”.